Publicidade

Publicidade

Arquivo de fevereiro, 2007

21/02/2007 - 16:12

Quentinhas da literatura

Compartilhe: Twitter

Hoje não vou falar de um livro específico, mas de vários lançamentos que estão pra sair e eu estou aguardando pela chance (e dinheiro) para comprar. O primeiro é um que fiquei sabendo agora a pouco, “A menina que roubava livros“. Se ele não te agrada por causa do título, saiba que é um best-seller em Nova York e já está na lista dos mais vendidos por mais de um ano. A história é de uma menina que sofreu muito na sua vida e encontra nos livros o seu apoio. Não conto mais por que não sei e também para não estragar a surpresa.

Outro que está sendo aguardado é “O Cavalo de Tróia 8“, de Benitez, J.j. Dando continuidade à famosa coleção, essa aventura narra a história do batismo de Jesus Cristo como ninguém. A narrativa é encantadora, claro.

Entrando em um lado mais polêmico, tem “Sexo no Cativeiro“, de Esther Perel, que puxa em um assunto mais delicado: quando o amor é discutido e o desejo sexual é citado. Parece ser interessante.

Para finalizar com chave de ouro, o livro mais esperado do ano (pelo menos por mim), que promete: Harry Potter and the Deathly Hallows chega em 21 de julho e coloca um ponto final na história do bruxinho mais famoso do mundo. E para atiçar mais os fãs, o ator que interpreta Harry no cinema, Daniel Readcliff, disse dias atrás que em uma conversa com a autora J.K. Rowling ela deixou uma dúvida sobre a questão da morte de Dumbledore. E agora, hein?

E você, tá esperando o que pra esse ano?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
07/02/2007 - 17:58

A fortaleza digital de Dan Brown

Compartilhe: Twitter

De todos os livros do renomado (por uns) e mundialmente conhecido escritor Dan Brown, autor de “O Código da Vinci” e “Anjos e Demônios“, o meu predileto é, de longe, “Fortaleza Digital“. Talvez a mistureba das características marcantes de Brown mais um “quê” tecnológico são o que me encantou. A narrativa rápida, o suspense, a ação, a morte na primeira página do livro, as reviravoltas inimagináveis e toda aquela coisa de códigos secretos etc., são algumas das coisas que prendem na leitura do início ao fim. O que eu não sabia – e aposto que muita gente também não – é que esse livro foi lançado em 1998 nos EUA, ou seja, muito antes de qualquer outra obra de Dan Brown e da onda de “ataques terroristas”.

O enredo é ótimo: existe um supercomputador na NSA (Agência de Segurança Nacional), que é considerado uma arma invencível para decodificar mensagens terroristas transmitidas pela internet. O problema é que, em um belo dia, aparece um código que não pode ser quebrado. Aí aparece Susan Fletcher, uma ótima matemática e exímia criptógrafa, que faz de tudo para entender o problema e salvar a sua vida e a de seu marido.

O que mais me encanta em Dan Brown é a maneira que ele finaliza suas histórias. Uma coisa lógica, mostrada na trama inteira, que ninguém se dá conta, acaba sendo o ponto crucial e a resolução de todos os problemas.

Ponto para Dan Brown. E você, qual obra do cara prefere?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo