Publicidade

Publicidade
03/10/2009 - 08:45

umbigo sem fundo

Compartilhe: Twitter

umbigo

A análise “sem fundo” de Dash Shaw

Se você gosta de HQ’s, então vai curtir “Umbigo sem fundo” já pelo seu tamanho: são 700 páginas de história ilustrada. Os acontecimentos são dividido em três partes, tudo muito bem pensado pelo autor, que inclusive requisita que você faça pausas entre a leitura de um capítulo e outro. E funciona, já que a ideia parece ser que as personagens, o ambiente em que se passa o acontecido, os conflitos e as inseguranças mergulhem o leitor em um processo mútuo de amadurecimento.

O autor, Dash Shaw, faz muito bem essa ligação do leitor e das personagens, pois permite que você conheça as neuras de cada um, logo a identificação com um ou mais deles é inevitável. Mas quem são eles? A resposta: a família Looney. Formada pelo pai caladão, David, a mãe preocupada com a família, Maggie, a insegura filha do meio, Claire, o mais velho e metido a sabichão, Dennis, e por fim, o mais novo e esquisito, Peter. O universo familiar sai de sua órbita habitual quando um acontecimento marcante acontece: após 40 anos, o pai e a mãe Looney decidem se divorciar sem motivo aparente.

É nesse contexto que entram em cena Jill, a filha de Claire, Aki e seu bebê, esposa e filho de Dennis, e mais tarde Kat, a “namoradinha” de Peter. Convidados pelos pai e mãe, os Looney voltam a sua antiga casa de praia para viver mais alguns momentos juntos, antes que a família se desforme. É ai que cada um revela que pode reagir de forma bem diferente frente a um divórcio, e você é convidado a conhecer mais a fundo a personalidade de cada participante um deles. Claire vive um conflito interno por não achar que encontrará o amor e ainda tenta se dar bem com a sua filha, Peter, típico adolescente isolado, que parece não se encaixar em canto algum, tenta achar algum sentido para sua vida e Dennis, o que acaba se importando mais com a separação dos pais, vive seus conflitos internos.

Quem parece estar menos preocupados com isso tudo são os pais Looney, que encaram tudo aquilo com muita tranquilidade, com o argumento de que o amor acabou e que não há sentido em continuarem juntos dessa forma. Pois é, sem amor, tudo parece perder um pouco seu sentido, certo? É o que você vai descobrir lendo a HQ. Não se assuste com o tamanho, lendo um pouco por dia, você consegue lê-la em uma semana. Mas tente respeitar a orientação do autor: leia uma parte da história por vez. Dessa forma, você conseguirá assimilar ainda mais as neuras de cada Looney, vale a pena.

Além disso, a narrativa analítica e os desenhos simples de Dash Shaw se complementam de forma muito natural, fazendo com que até aqueles que não estejam acostumados com leitura de HQ’s entendam o contexto e entrem na viagem. Viagem que é sem “fundo”, levando em consideração que a análise de cada personagem é realmente profunda. O mais curioso é que a história foi escrita quando o autor tinha seus 23 anos e desenhada entre março de 2005 a agosto de 2009. Resumindo, “Umbigo sem fundo” representa quadrinhos “adultos” de excelente nível.

Autor: Dash Shaw/Tradutor: Érico Assis
Editora: Quadrinhos na Cia
720 páginas, R$ 53

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,

Ver todas as notas

5 comentários para “umbigo sem fundo”

  1. pensei que iria mostrar a menina pelada

  2. carlos disse:

    ainda não li, mas sou defensor dos quadrinhos como uma maneira de pensar a sociedade, palmas para o altor os brasileiros poderiam copiar, quadrinhos para adultos sria uma boa forma de unir escritores e cartunistas e tirar o mercado literario brasileiro do marasmo

  3. Walter YC disse:

    Separar até pode, isso chega a ser inevitável hoje em dia. O que não é legal é jogar os filhos para os outros cuidarem ou largar que se virem pela rua de qualquer maneira.
    Se não pode dar atenção, ao menos dê um mínimo de condição dos filhos viverem. Agora, quando o casal não tem mais prazer sexual e os filhos já não são mais crianças bonitinhas para exibir por aí, é correto abandona-los de qualquer maneira? Você não pode fazer isso, a não ser que seja um grandessíssimo ilha da gruta.

  4. Dash Shaw disse:

    Adorei o comentario sobre a ”HQ”.,e fiquei interessado em comprar um exemplar.Gostaria de receber uma proposta de pagamento.

  5. Dash Shaw disse:

    Me interessei muito por esse livro,gostaria muito de saber como adquiri-lo.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo