Publicidade

Publicidade
31/07/2009 - 09:00

Esquecendo da vida

Compartilhe: Twitter

Sabe aquelas épocas em que sua vida está uma droga, nada dá certo, você está sem dinheiro e ainda tropeça na frente da balada? Imagine que essa tenha sido a sua última lembrança ao acordar num hospital totalmente chique, cheio das frescuras e com uma enfermeira que fica o tempo todo contigo. Estranho, né?

Isso foi o que aconteceu com a Lexi, personagem principal do livro “Lembra de mim?”, de Sophie Kinsella – a mesma autora da série “Os delírios de consumo de Becky Bloom”. Assim que ela consegue se levantar da cama e olhar o reflexo no espelho parece que tem outra pessoa ali: ela é magra, com o cabelo e a pele bem cuidados, unhas feitas; aquele tipo de mulher que ela sempre invejou em silêncio.

Depois de algum tempo ainda descobre que é casada, tem um superemprego e dinheiro deixou de ser um problema. Como ela conseguiu chegar até essa vida? Ela não se lembra de nada, está com amnésia e pode ser que nunca se lembre daqueles anos perdidos. E agora? Começar tudo de novo?

A história de Lexi vai muito além de um capítulo de “Samantha Who”, série de televisão que também fala de uma garota que não lembra das coisas. Com ela você vai aprendendo o que tem valor, o que é importante e que, de vez em quando, é bom rever o caminho que você escolheu para chegar até seus objetivos.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,
19/07/2009 - 08:45

Muito melhor do que um beijo

Compartilhe: Twitter

Adolescentes podem ter problemas enormes apenas por causa de um cabelo que não é perfeito ou uma roupa escolhida errada, mas isso pode ficar ainda pior se sua família não é um exemplo, ou não chega nem perto diso.

Libby é bonita, magra, com cabelos pretos e lisos, mas isso não é o suficiente para sua vida ser bacana. Ela não pode levar ninguém a sua casa, mas apenas por causa da vergonha que tem de tudo ser bastante estranho e nunca saber o que pode acontecer depois da última cerveja que seu pai tomar ou o último pedaço de frango frito que sua mãe comer.

Antes da volta às aulas, uma decisão é tomada: esse será o ano em que ela e sua melhor amiga encontrarão os caras certos para dar um beijo para valer. E quando tudo parece estar se aproximando de dar certo… As coisas tomam um rumo que combina totalmente com a família dela – inesperado.

A garota precisa mudar de cidade e ainda se adaptar a uma nova escola, novos amigos e o pior, tudo isso no meio do deserto, com aquele calor enlouquecedor e uma vida totalmente diferente daquela esperada no começo do ano. E agora, qual o caminho que a vida de Libby vai tomar?

A autora de “Um beijo pra valer” é Mary Hogan, a mesma que escreveu “Garota Perfeita”, que também é ótimo. Você vai ter dúvidas junto com Libby, sofrer, passar vergonha e tentar dar a volta por cima. Muito mais profundo do que o título sugere, esse livro vai te mostrar outros lados da vida.

Quer ler o primeiro capítulo? Vai lá no site da Galera Record!

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , ,
03/07/2009 - 09:00

Muito além da rebeldia

Compartilhe: Twitter

Qual adolescente não passa por uma fase de rebeldia, nem que isso seja cortar o cabelo sozinho ou pintar as unhas de preto? O problema é que essa fase rebelde de Cyd Charisse – sim, o nome dela deve ter influenciado nesse gênio difícil – tem durado muito mais do que devia; a garota até conseguiu ser expulsa de um colégio interno…

Ao voltar a morar com a mãe, o padrasto e os irmãos em São Francisco. Cyd estava ocupando seu tempo estudando numa escola alternativa, que ela dizia ser uma desculpa para filhos de gente rica ter o que fazer além de dar trabalho, e o serviço comunitário num asilo. Foi nesse lar para idosos em que Cyd conheceu Pão-Doce, sua melhor amiga e confidente, mesmo que os anos entre a idade das duas somem mais do que a idade da garota rebelde.

O serviço comunitário não deu apenas uma melhor amiga à Cyd, mas também uma paixão. Foi lá que ela conheceu o amor da sua vida – até o momento -, o cara mais legal do mundo – segundo ela -, o Siri, um surfista gatinho que a faz suspirar. E além de suspirar, a faz ter coragem de dormir fora de casa e voltar na manhã seguinte, na maior cara de pau. Adivinha se isso não daria problema?

E o problema foi resolvido mandando Cyd Charisse para Nova York. Não, ela não foi sozinha para a cidade mais legal do mundo todo… Ela foi encontrar o pai que ela viu uma única vez na vida. E o dia em que ela conheceu o pai não sai de sua cabeça, já que foi o mesmo dia em que ele deu a ela a Pão-de-mel, a boneca e companheira de Cyd.

Conforme foi crescendo, Cyd Charisse começou a pesquisar sobre a vida do pai e até falou uma vez com ele ao telefone porque precisava de grana pra sair de uma enrascada! Durante as pesquisas ela descobriu que tinha uma irmã e um irmão. Ela sonhou muito tempo com a possibilidade de conhecê-los e conviver com sua outra família. Essa hora chegou e não vai ser exatamente como ela havia imaginado…

Pão-de-mel é o primeiro livro de Rachel Cohn e já é ótimo, imagina como será Siri, o seguinte dela? Esse livro vai além de uma história bonitinha de amor, é muito mais profundo e mexe de verdade com a gente. Vale totalmente a pena esquecer do mundo e lê-lo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
18/06/2009 - 10:41

“Se alguém está gritando de felicidade…

Compartilhe: Twitter

…a coisa mais educada a fazer é gritar também”

Para ter uma amizade duradoura você precisa de leis? Quando você não sabe direito como agir em relação às coisas a quem – ou o que – você deve recorrer? Allie Finkle tem todas essas respostas, apesar de ser apenas uma garota de nove anos.

Allie é uma garota normal, que vai à escola, tem amigas e, é claro, uma melhor amiga. Não que sua melhor amiga seja uma garota muito legal, mas Allie (até que) gosta dela, apesar de ser uma menina chorona e meio chata. Tudo isso faz com que a menina Finlke sempre pense que adoraria ter uma melhor amiga mais divertida, que se parecesse mais com ela.

O problema é que pode ser que os pedidos de Allie sejam realizados agora que sua família decidiu mudar de casa – e, consequentemente, trocar a escola onde ela e seus irmãos estudam. Agora ela já não tem tanta certeza de que quer uma nova amiga e vai fazer de tudo para continuar na mesma casa com as mesmas coisas, tudo do jeitinho que deveria ser.

Enquanto Allie luta contra a mudança, a troca de amizades e escola vários acontecimentos vão mostrando à ela os caminhos certos que você deve seguir para que tudo dê certo. Agora ela até fez um caderno para anotar essas regras.

Se você acredita naquele papo de que “é errando que se aprende”, vai adorar as confusões em que essa garota se mete tentando fugir de morar em uma casa mal assombrada, conhecendo novas amigas ou vendo que suas antigas colegas são muito piores do que ela pensava.

“As leis de Alli Finkle para meninas – Dia da Mudança” é da autora Meg Cabot, que escreveu diversos dos nossos livros favoritos, e chega ao Brasil com tradução da Galera Record. Alli Finkle é uma heroína, do seu jeito meio estranho e atrapalhado – metendo os pés pelas mãos de vez em quando – mas ainda assim, uma heroína que vai te inspirar a ser uma pessoa muito melhor! Ou, pelo menos, mais divertida.

E você, tem alguma regra? Conte pra gente nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , ,
05/06/2009 - 11:28

Sidarta para jovens

Compartilhe: Twitter


Religião é coisa chata? Todo mundo sempre acha que ser religioso é ficar dentro de uma igreja cheia de velhinhas caquéticas rezando em latim e morrendo de sono, né?! Mas existem outras coisas para descobrir no mundo além das ideias do ocidente sobre religião.

Uma história muito bacana é sobre um príncipe indiano que larga toda a riqueza para descobrir o sentido da vida. Esse tal príncipe chama Sidarta, e também é conhecido como o Buda – aquele cara gordinho de barriga de fora, sabe?

Sidarta Gautama foi o nome de batismo do Buda, o Iluminado. Seu pai o deixou dentro do palácio da família até que se tornasse adulto. O garoto não sabia como era o mundo fora dos portões de segurança, não imagina que existia pobreza, doença ou velhice. Ao encontrar todas essas “novidades” em um passeio, Sidarta se deu conta de que alguma coisa estava errada.

A vida dele já foi contada por várias pessoas, uma delas foi Hermann Hesse, que escreveu sobre esse cara há muito tempo. E então chegou o escritor e jornalista carioca Bruno Pacheco e modernizou a doutrina do budismo.

“Sidarta para jovens” é um livro que fala sobre religião de uma forma leve, rápida e que te deixa superinteressado. Quem sabe você não termina de ler e vai conhecer um templo budista ou aprender a meditar?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , ,
22/05/2009 - 10:48

Aventura medieval

Compartilhe: Twitter

Imagine se salvar o lugar onde você vive estivesse em suas mãos, o que você faria? Teria coragem de seguir em frente e fazer o que fosse necessário? Alexa não pensou duas vezes quando recebeu uma carta falando sobre seu futuro, ela mergulhou na aventura e, vou te contar, não foi nada fácil!

É claro que ela não estava sozinha atravessando um reino medieval encantado, impossível fazer isso mesmo pra ela, que sempre arruma um jeito de fazer as coisas. Seus fiéis escudeiros foram Yipes, um homem menor do que uma criança, John Christopher, um ex-prisioneiro que tinha uma marca em sua testa deixando sua condição bem clara, Odessa, uma loba de verdade, Murphy, um pequeno esquilo agitado e Squire, um falcão fêmea.

A comunicação entre o grupo (animais e humanos) se dava por causa de uma pedra mágica que permite que os humanos entendam o que os animais dizem, a Jocasta. Aliás, as Jocastas são as causadoras de todo esse problema: elas são mágicas e não existem mais. A pedra de Alexa é a última que existe.

No caminho eles encontram para reforçar a luta, Armon, um gigante que não foi transformado em monstro como o resto de seu povo, que caiu nas garras de Grindall, o homem que quer dominar todo o reino. É claro que a história é muito mais complicada do que isso, mas para entender tudo, você precisa ler o livro. O que eu posso te contar é que são muitos dias e noite de caminhada, de lutas e uma guerra eletrizante.

O livro “Além do Vale dos Espinhos” vai te deixar com vontade de ter nascido em um época onde essas coisas ainda existiam e você, talvez, fizesse parte do grupo de Alexa. Patrick Carman é o autor da obra que, na verdade é uma trilogia, começa com “No Limiar das Colinas Sombrias” e termina com “A Décima Cidade”.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
10/05/2009 - 08:45

Elementar, meu caro Watson

Compartilhe: Twitter

O que não é elementar é você não saber que o ídolo dos detetives, a inspiração de todos eles, Sherlock Holmes, não trabalhava apenas com Watson. Sim, toda sua vida foi uma farsa até hoje, ele tinha outros ajudantes!

Esses ajudantes são o foco principal do livro que conta a história sobre “A Queda dos Incríveis Zalindas”, o primeiro caso da série onde Sherlock conta com a ajuda dos “Irregulares de Baker Street”. Mas quem são esses caras?

São meninos que não têm família e moram juntos, num galpão abandonado. Alguns deles têm uma incrível habilidade para descobrir pistas e seguir evidências, e é o que fazem quando são chamados pelo grande detetive Holmes.

Os Zalindas são malabaristas de um grande circo, que morrem enquanto andam na corda bamba; coisa que não deveria acontecer, visto que eles estavam entre os melhores do mundo. O caso é muito mais complicado do que você, eu e os Irregulares sonharíamos. Quer resolver esse mistério?

É fácil! Está tudo explicado no livro “Sherlock Holmes & os Irregulares de Baker Street – A Queda dos Incríveis Zalindas (caso 1)”, muito bem escrito por Tracy Mack e Michael Citrin, que criam todo o clima de mistério que você precisa pra se sentir parte da história! A tradução é do Rodrigo Muggiati, para a editora Galera Record.

E aí, preparado para se tornar um “Irregular”?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , ,
06/05/2009 - 14:46

Quando a tradução do título vale mais…

Compartilhe: Twitter

Decidi comprar “Como Ser Legal“, de Nick Hornby, depois de assistir ao filme “Alta Fidelidade”, que foi baseado na obra homônima. Achei que, seguindo o nome do livro, a obra seria “legal”. Ledo engano. O livro, traduzido ao pé da letra, tem o nome “Como ser bom”, mas foi adaptado para não parecer piega demais. “Bom”, aqui, é no sentindo de bonzinho, de bom coração. Logo que comprei o livro, há uns 2 anos, uma amiga disse “É um dos piores do Hornby”. Eu disse “já foi”. E assim aconteceu.

Um belo dia, subi em meu guarda-roupa e o escolhi. Comecei a lê-lo e quase cai no sono. “Epa, é só cansaço”. Continuei no dia seguinte. Descobri que “Como ser Legal” é, na verdade, um livro de auto-ajuda. A história rola através de Catie Carr, uma médica da Inglaterra casada com David, um homem que escreve textos para um jornal com críticas e reclamações em relação à vida. O livro começa com uma separação espontânea, feita pelo celular, no estacionamento do supermercado. Arrependida, Catie pede perdão e volta com David, para o bem-estar de sua família, que agrega mais dois filhos. Eis que David conhece BoasNovas, um cara louco da vida que afirma ter ganhado poderes de cura depois de ter ingerido um coquetel de drogas. Nhé!

BoasNovas é aquele cara que quer mudar o mundo. Depois de conquistar David e transformá-lo em um cara “legal”, ele vai viver junto da família de Catie e transforma a vida dos filhos e da mulher um inferno. A maior ação do cara é fazer com que cada vizinho da rua de David acolha uma criança de rua para sua casa. Uns se dão bem, outros nem tanto.

Por fim, “Como ser Legal” acabou se tornando um grande livro de auto-ajuda, camuflado em uma obra pop escrita por Nick Hornby, que sai totalmente do seu lugar comum ao escrever sobre vidas adultas com problemas emocionais, financeiros e de relacionamentos. A idéia de bondade para com o mundo de BoasNovas pode ser condizente em vários momentos, mas as situações que Catie é obrigada a viver mostra que, por mais que queiramos, não é possível mudar o mundo sozinho. A sociedade vai sempre refletir em nossas ações e, para um mundo totalmente justo, teríamos que deixar de lado muitos dos nossos hábitos.

Autor: - Categoria(s): Auto-ajuda Tags: , ,
24/04/2009 - 11:58

Fetiche nosso de cada dia

Compartilhe: Twitter

Curiosidades em relação ao sexo todo mundo tem, mas Helen chega a extremos que você nunca imaginou! Ela vai te contar tudo, todos os detalhes das experiências mais estranhas que já teve enquanto espera sua recuperação de uma cirurgia: ela precisou tirar uma hemorroida, o que, segundo ela, é uma coisa extremamente comum.

A vida de Helen se resume a estudar, trabalhar, usar drogas e encher a cara com bebidas, cuidar de seus caroços de abacate – que ela trata como filhos – e fazer sexo, com homens e mulheres. Seu objetivo é saber mais sobre o prazer, entender seu corpo e conhecer todos os sabores e odores que ele produz.

Sim, Helen tem uma forma bastante peculiar de se conhecer, como utilizar as secreções do corpo como perfume, para atrair sexo, fazer seus próprios absorventes internos e deixar “lembrancinhas” nos lugares, como uma marca de sangue ou um rastro do que para nós é considerado sujeira.

Falando dessa forma, Helen parece não ser o tipo de garota que você seria amiga ou que um cara se interessaria, mas a cada pequena história que ela conta, a cada reflexão que ela tem, você nota que é apenas mais uma menina tentando entender o que está acontecendo consigo mesma e ao seu redor. Todo mundo tem fetiches e manias estranhas, a diferença é que ela divide isso com você, leitor, e o resto, esconde até de si mesmo.

“Zonas Úmidas” é como o diário da garota de 18 anos que tenta se encontrar, foi escrito por Charlotte Roche e traduzido por Claudia Abeling, para a editora Objetiva. Ao ler essa obra você entende que cada pessoa é muito mais do que você pode ver e muito menos do que suas obsessões querem demonstrar.

Perder os preconceitos e encarar as pessoas como um todo é o ensinamento do livro, com um final que nem eu, nem você podíamos imaginar. Em alguns momentos você vai ficar enjoada, mas logo passa e você não vai conseguir ficar longe das aventuras dessa garota.

Leia um trecho do livro no site da editora! Vai ter coragem de entrar nesse mundo?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , ,
22/04/2009 - 13:24

É hora de ganhar dinheiro!

Compartilhe: Twitter

Muitas pessoas que gostam de ler, gostam também de escrever. E o que você pode querer além de ter seus textos divulgados além de ganhar uma booooa graninha por eles? Essa é a sua chance! São prêmio de R$ 5 mil para o primeiro colocado, R$ 3 mil para o segundo e R$ 1 mil para o terceiro. E se você não for um dos primeiros, mas estiver entre os 70 escritores mais bem avaliados pode participar de uma coletânea!

Serão seis jurados – o escritor Aercio Flavio Consolin, a autora e jornalista Cristine Gerk, a blogueira Isabel Furini, o jornalista João Lins de Albuquerque, o poeta Paulo Leandro Valoto e o doutor em Literatura Brasileira Welington Andrade – que darão suas opiniões sobre as poesias e os internautas também poderão votar dando notas e comentando os textos.

Para se inspirar você pode dar uma olhada nas seis primeiras poesias postadas no site Talentos, todas escritas por grandes nomes da literatura, como Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana e Cecília Meirelles.

As poesias não precisam ser inédias e as inscrições podem ser feitas no site do concurso e custam R$ 23,90, permitindo que você concorra com dois textos.

Já fez sua inscrição?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,
Voltar ao topo