Publicidade

Publicidade

14/11/2009 - 08:45

Jennifer’s body, a garota infernal

Compartilhe: Twitter

Todo mundo tem uma melhor amiga, daquelas que sempre estão ao seu lado e apoiam todas as susas decisões, mesmo não sendo as mais inteligentes. Por nossa melhor amiga a gente faz quase tudo.

Quase.

E se, de repente, ela começasse a agir de forma totalmente estranha, andando com uma galera que ela nunca nem tinha dito oi e se importando demais com o que você acha do seu próprio namorado?

Nessas horas você começa a pensar se a amizade é tão forte assim e se ela não está apenas se aproveitando de você. Foi bem isso que aconteceu em Jennifer’s Body.

O livro foi baseado no filme, coisa que normalmente é diferente, mas o resultado ficou bem legal. Você vai criando todas as imagens na sua cabeça e quando vê tem um superfilme de terror rolando.

Ok, não é um terror de dar medo, mas é bem bizarro e surpreendente. Vale a pena embarcar nessa maluquice toda!

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , ,
19/09/2009 - 08:45

Guitarrista bom é guitarrista morto

Compartilhe: Twitter

melodia_infernal_vol_01O tema céu, inferno e purgatório em roteiros de filmes, novelas, desenhos e seriados de TV já foi explorado por aí. Nos quadrinhos, o assunto é recorrente, seja em histórias de heróis ou não, mas apesar desse ser o caso de “Melodia Infernal-Volume 1”, a ideia central parece ser fugir da mesmice. As explicações básicas da realidade em que se passa a história são dadas, mas o diferencial aqui é o passatempo das almas que penam como os “principais” nessa história: eles aproveitam seus dias livres para fazer uma banda de heavy metal! Foi isso mesmo que você leu.

Mas esse trio não está contente, pois está incompleto e precisam de um guitarrista solo para voltarem a agitar o limbo em que vivem. Para o azar da banda, ao finalmente encontrar quem procuravam, percebem que o roqueiro escolhido ainda está vivo! E na realidade em que se passa a história, roqueiros são peças raras, já que o som da moda dominou a sociedade. Só que os planos do trio “metal” de completar a banda se mostram além da vontade do mundo dos vivos e dos mortos.

Os traços da HQ são no estilo mangá, mas quem fica a cargo da arte é um chinês, Lu Ming. O desenho ganha mais vida graças ao conhecimento que o autor esbanja na hora de retratar as guitarras clássicas que foram fonte das notas do rock até hoje. O movimento dado aos solos de guitarra e bateria ganham força com os tradicionais exageros do estilo oriental de desenho.

É curioso também reparar nas referências que Lu Ming deixa espalhadas pelos quadrinhos: um personagem do Mortal Kombat aqui, outro da DC Comics ali (no caso, o próprio Cavaleiro das Trevas!) – mas todos devidamente escondidos nas cenas. Na edição brasileira, o quadrinista “escatológico” Marcatti, que também é guitarrista de blues desde 1990, ainda deixa como “extra” uma explicação mais detalhada dos instrumentos que aparecem na HQ. O resto da explicação fica pro volume 2.

“Melodia Infernal Vol. 1” (2009), Lu Ming
Ed. Conrad do Brasil
144 páginas, R$12,90

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
15/08/2009 - 09:45

Sua vida nas mãos de um esqueleto

Compartilhe: Twitter

A adolescência não é uma fase nada fácil, porém pode ser muito mais difícil quando você descobre que é a última da sua família a carregar poderes mágicos de muitas gerações. Foi isso o que aconteceu com Valquíria Caos – e esse é seu novo nome, de heroína.

Além de ter poderes, precisar aprender a lidar com eles e faltar demais as aulas – que são frequentadas por um reflexo da garota -, o parceiro que Valquíria ganhou foi Ardiloso Cortês, um grande lutador, muito habilidoso e inteligente, mas sem carne, apenas osso. Sim, ele é um esqueleto. Quão mais estranha sua vida poderia ficar?

Muito mais, é claro! Os dois, com a ajuda de um exército, precisam derrotar o Barão Vingança, um dos vilões do mundo mágico. A busca por uma armadura mágica, um monstro criado para o mal sendo solto e diversos quase vampiros atrás da dupla são apenas alguns dos problemas que eles enfrentarão e você vai acompanhar grudado.

“Sr. Ardiloso Cortês – Brincando com fogo” foi escrito por Derek Landy. Basta ver a capa do livro para você esperar encontrar as ilustrações dentro dele, mas teremos que decepcioná-lo e dizer que elas não estão ali. Só que como somos muito legais vamos te indicar o link dos quadrinhos em inglês, que são totalmente demais! No site da editora Galera Record você pode ainda ler o primeiro capítulo grátis.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , ,
31/07/2009 - 09:00

Esquecendo da vida

Compartilhe: Twitter

Sabe aquelas épocas em que sua vida está uma droga, nada dá certo, você está sem dinheiro e ainda tropeça na frente da balada? Imagine que essa tenha sido a sua última lembrança ao acordar num hospital totalmente chique, cheio das frescuras e com uma enfermeira que fica o tempo todo contigo. Estranho, né?

Isso foi o que aconteceu com a Lexi, personagem principal do livro “Lembra de mim?”, de Sophie Kinsella – a mesma autora da série “Os delírios de consumo de Becky Bloom”. Assim que ela consegue se levantar da cama e olhar o reflexo no espelho parece que tem outra pessoa ali: ela é magra, com o cabelo e a pele bem cuidados, unhas feitas; aquele tipo de mulher que ela sempre invejou em silêncio.

Depois de algum tempo ainda descobre que é casada, tem um superemprego e dinheiro deixou de ser um problema. Como ela conseguiu chegar até essa vida? Ela não se lembra de nada, está com amnésia e pode ser que nunca se lembre daqueles anos perdidos. E agora? Começar tudo de novo?

A história de Lexi vai muito além de um capítulo de “Samantha Who”, série de televisão que também fala de uma garota que não lembra das coisas. Com ela você vai aprendendo o que tem valor, o que é importante e que, de vez em quando, é bom rever o caminho que você escolheu para chegar até seus objetivos.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,
19/07/2009 - 08:45

Muito melhor do que um beijo

Compartilhe: Twitter

Adolescentes podem ter problemas enormes apenas por causa de um cabelo que não é perfeito ou uma roupa escolhida errada, mas isso pode ficar ainda pior se sua família não é um exemplo, ou não chega nem perto diso.

Libby é bonita, magra, com cabelos pretos e lisos, mas isso não é o suficiente para sua vida ser bacana. Ela não pode levar ninguém a sua casa, mas apenas por causa da vergonha que tem de tudo ser bastante estranho e nunca saber o que pode acontecer depois da última cerveja que seu pai tomar ou o último pedaço de frango frito que sua mãe comer.

Antes da volta às aulas, uma decisão é tomada: esse será o ano em que ela e sua melhor amiga encontrarão os caras certos para dar um beijo para valer. E quando tudo parece estar se aproximando de dar certo… As coisas tomam um rumo que combina totalmente com a família dela – inesperado.

A garota precisa mudar de cidade e ainda se adaptar a uma nova escola, novos amigos e o pior, tudo isso no meio do deserto, com aquele calor enlouquecedor e uma vida totalmente diferente daquela esperada no começo do ano. E agora, qual o caminho que a vida de Libby vai tomar?

A autora de “Um beijo pra valer” é Mary Hogan, a mesma que escreveu “Garota Perfeita”, que também é ótimo. Você vai ter dúvidas junto com Libby, sofrer, passar vergonha e tentar dar a volta por cima. Muito mais profundo do que o título sugere, esse livro vai te mostrar outros lados da vida.

Quer ler o primeiro capítulo? Vai lá no site da Galera Record!

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , ,
03/07/2009 - 09:00

Muito além da rebeldia

Compartilhe: Twitter

Qual adolescente não passa por uma fase de rebeldia, nem que isso seja cortar o cabelo sozinho ou pintar as unhas de preto? O problema é que essa fase rebelde de Cyd Charisse – sim, o nome dela deve ter influenciado nesse gênio difícil – tem durado muito mais do que devia; a garota até conseguiu ser expulsa de um colégio interno…

Ao voltar a morar com a mãe, o padrasto e os irmãos em São Francisco. Cyd estava ocupando seu tempo estudando numa escola alternativa, que ela dizia ser uma desculpa para filhos de gente rica ter o que fazer além de dar trabalho, e o serviço comunitário num asilo. Foi nesse lar para idosos em que Cyd conheceu Pão-Doce, sua melhor amiga e confidente, mesmo que os anos entre a idade das duas somem mais do que a idade da garota rebelde.

O serviço comunitário não deu apenas uma melhor amiga à Cyd, mas também uma paixão. Foi lá que ela conheceu o amor da sua vida – até o momento -, o cara mais legal do mundo – segundo ela -, o Siri, um surfista gatinho que a faz suspirar. E além de suspirar, a faz ter coragem de dormir fora de casa e voltar na manhã seguinte, na maior cara de pau. Adivinha se isso não daria problema?

E o problema foi resolvido mandando Cyd Charisse para Nova York. Não, ela não foi sozinha para a cidade mais legal do mundo todo… Ela foi encontrar o pai que ela viu uma única vez na vida. E o dia em que ela conheceu o pai não sai de sua cabeça, já que foi o mesmo dia em que ele deu a ela a Pão-de-mel, a boneca e companheira de Cyd.

Conforme foi crescendo, Cyd Charisse começou a pesquisar sobre a vida do pai e até falou uma vez com ele ao telefone porque precisava de grana pra sair de uma enrascada! Durante as pesquisas ela descobriu que tinha uma irmã e um irmão. Ela sonhou muito tempo com a possibilidade de conhecê-los e conviver com sua outra família. Essa hora chegou e não vai ser exatamente como ela havia imaginado…

Pão-de-mel é o primeiro livro de Rachel Cohn e já é ótimo, imagina como será Siri, o seguinte dela? Esse livro vai além de uma história bonitinha de amor, é muito mais profundo e mexe de verdade com a gente. Vale totalmente a pena esquecer do mundo e lê-lo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
05/06/2009 - 11:28

Sidarta para jovens

Compartilhe: Twitter


Religião é coisa chata? Todo mundo sempre acha que ser religioso é ficar dentro de uma igreja cheia de velhinhas caquéticas rezando em latim e morrendo de sono, né?! Mas existem outras coisas para descobrir no mundo além das ideias do ocidente sobre religião.

Uma história muito bacana é sobre um príncipe indiano que larga toda a riqueza para descobrir o sentido da vida. Esse tal príncipe chama Sidarta, e também é conhecido como o Buda – aquele cara gordinho de barriga de fora, sabe?

Sidarta Gautama foi o nome de batismo do Buda, o Iluminado. Seu pai o deixou dentro do palácio da família até que se tornasse adulto. O garoto não sabia como era o mundo fora dos portões de segurança, não imagina que existia pobreza, doença ou velhice. Ao encontrar todas essas “novidades” em um passeio, Sidarta se deu conta de que alguma coisa estava errada.

A vida dele já foi contada por várias pessoas, uma delas foi Hermann Hesse, que escreveu sobre esse cara há muito tempo. E então chegou o escritor e jornalista carioca Bruno Pacheco e modernizou a doutrina do budismo.

“Sidarta para jovens” é um livro que fala sobre religião de uma forma leve, rápida e que te deixa superinteressado. Quem sabe você não termina de ler e vai conhecer um templo budista ou aprender a meditar?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , ,
22/05/2009 - 10:48

Aventura medieval

Compartilhe: Twitter

Imagine se salvar o lugar onde você vive estivesse em suas mãos, o que você faria? Teria coragem de seguir em frente e fazer o que fosse necessário? Alexa não pensou duas vezes quando recebeu uma carta falando sobre seu futuro, ela mergulhou na aventura e, vou te contar, não foi nada fácil!

É claro que ela não estava sozinha atravessando um reino medieval encantado, impossível fazer isso mesmo pra ela, que sempre arruma um jeito de fazer as coisas. Seus fiéis escudeiros foram Yipes, um homem menor do que uma criança, John Christopher, um ex-prisioneiro que tinha uma marca em sua testa deixando sua condição bem clara, Odessa, uma loba de verdade, Murphy, um pequeno esquilo agitado e Squire, um falcão fêmea.

A comunicação entre o grupo (animais e humanos) se dava por causa de uma pedra mágica que permite que os humanos entendam o que os animais dizem, a Jocasta. Aliás, as Jocastas são as causadoras de todo esse problema: elas são mágicas e não existem mais. A pedra de Alexa é a última que existe.

No caminho eles encontram para reforçar a luta, Armon, um gigante que não foi transformado em monstro como o resto de seu povo, que caiu nas garras de Grindall, o homem que quer dominar todo o reino. É claro que a história é muito mais complicada do que isso, mas para entender tudo, você precisa ler o livro. O que eu posso te contar é que são muitos dias e noite de caminhada, de lutas e uma guerra eletrizante.

O livro “Além do Vale dos Espinhos” vai te deixar com vontade de ter nascido em um época onde essas coisas ainda existiam e você, talvez, fizesse parte do grupo de Alexa. Patrick Carman é o autor da obra que, na verdade é uma trilogia, começa com “No Limiar das Colinas Sombrias” e termina com “A Décima Cidade”.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
10/05/2009 - 08:45

Elementar, meu caro Watson

Compartilhe: Twitter

O que não é elementar é você não saber que o ídolo dos detetives, a inspiração de todos eles, Sherlock Holmes, não trabalhava apenas com Watson. Sim, toda sua vida foi uma farsa até hoje, ele tinha outros ajudantes!

Esses ajudantes são o foco principal do livro que conta a história sobre “A Queda dos Incríveis Zalindas”, o primeiro caso da série onde Sherlock conta com a ajuda dos “Irregulares de Baker Street”. Mas quem são esses caras?

São meninos que não têm família e moram juntos, num galpão abandonado. Alguns deles têm uma incrível habilidade para descobrir pistas e seguir evidências, e é o que fazem quando são chamados pelo grande detetive Holmes.

Os Zalindas são malabaristas de um grande circo, que morrem enquanto andam na corda bamba; coisa que não deveria acontecer, visto que eles estavam entre os melhores do mundo. O caso é muito mais complicado do que você, eu e os Irregulares sonharíamos. Quer resolver esse mistério?

É fácil! Está tudo explicado no livro “Sherlock Holmes & os Irregulares de Baker Street – A Queda dos Incríveis Zalindas (caso 1)”, muito bem escrito por Tracy Mack e Michael Citrin, que criam todo o clima de mistério que você precisa pra se sentir parte da história! A tradução é do Rodrigo Muggiati, para a editora Galera Record.

E aí, preparado para se tornar um “Irregular”?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , ,
10/04/2009 - 08:45

Sonho rock’n’roll

Compartilhe: Twitter

 

Coloque-se nessa cena: uma balada lotada, música alta, gente dançando, cheiro de cerveja. Você olha para os lados procurando uma amiga, mas o que encontra é muito melhor: um gato! Ok, ele não é perfeito, a roupa não é tão legal, mas ele tem algo…

O gato chega ao seu lado, te olha com uma cara de desesperado e diz: “Sei que isso vai parecer meio estranho, mas poderia ser minha namorada pelos próximos cinco minutos?”. O que você faz? Esse cara é o Nick e você, nessa história toda, é a Norah. Eles não se conhecem, nunca se viram e estão ali, lado a lado, podendo simplesmente caminhar adiante ou ficar ali e serem um casal de cinco minutos.

Enquanto você pensa em como responder para o garoto essa pergunta estranha, vê bem na sua frente, caminhando pra você, uma daquelas meninas que você tem raiva só de pensar. Ela está chegando bem perto. O que você faz? Olha, não vou te contar o que Norah faria pra não te influenciar, só posso dizer que essa noite segue em frente até o dia estar beeeeem claro.

Mas não, nada é fácil ou simples nessa história incrível – cheia de música, bandas bacanas, acontecimentos bizarros e lugares que você adoraria ir – escrita por Rachel Cohn e David Levithan. “Nick & Norah: uma noite de amor e música” – leia o primeiro capítulo online – conseguiu entrar para o meu top 5 e, com certeza, vai te fazer ficar apaixonada por Nick e buscar o rosto dele em todos os caras que passarem por você.

O livro é tão bacana que até virou um filme com o Michael Cera, que fez Juno e Superbad, e a Kat Dennings. Agora vou te contar um segredo: eu ainda não assisti ao filme porque estou morrendo de medo de que as imagens que o livro deixou na minha cabeça sumam! Mas prometo que assim que tomar coragem, eu conto aqui pra vocês o que achei!

E aí, o que você achou? Vai ler? Comente!

 

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , ,
Voltar ao topo